Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Correcção do teste do 10º Ano

Mäyjo, 09.01.09

Pois é, a tecnologia tem destas maravilhas.

 

Os alunos recebem os testes para fazer e a correção fica logo disponível.

 

é pena não  se poder fazer o teste com "recurso à NET".

 

 

 

 

PROPOSTA DE CORRECÇÃO DO 4º TESTE DE GEOGRAFIA –10º Ano
Janeiro de 2009
 
CRITÉRIOS GERAIS DE CLASSIFICAÇÃO
Só será atribuída a cotação completa quando as respostas revelarem:
• objectividade e capacidade de síntese;
• correcção científica e vocabulário científico adequado;
• correcta fundamentação dos argumentos utilizados;
• domínio da expressão escrita.
 
 
CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE CLASSIFICAÇÃO
Grupo I
1. A resposta deve fazer referência à diminuição percentual dos efectivos populacionais masculinos com idades inferiores a 25 anos e femininos com idades inferiores a 30 anos e ao aumento da população acima daquelas idades.
 
2. A resposta deve referir duas das seguintes razões, ou outras consideradas significativas:
• aumento da esperança média de vida à nascença;
• diminuição da população jovem;
• perda de importância relativa da população adulta.
 
3. A resposta deve apresentar três dos seguintes problemas, ou outros considerados relevantes:
• aumento dos custos da segurança social;
• aumento dos custos com a saúde;
• não renovação das gerações;
• aumento da carga fiscal sobre a população activa;
• dificuldade de implementação e/ou ineficácia de medidas pró-natalistas.
 
4. A resposta deve explicitar em que medida dois dos seguintes argumentos, ou outros considerados relevantes, levaram à redução da natalidade:
• aumento da taxa de actividade feminina;
• situação da mulher face ao trabalho;
• importância social e económica da prossecução pelas mulheres de uma carreira profissional;
• aumento do nível de instrução, sobretudo, das mulheres;
• significado dos filhos no seio das famílias e custos inerentes à sua educação.
 
 
Grupo II
1.1. A. - 38% e 51%.
1.2. C. Sines e Grândola.
1.3. B. processo de suburbanização facilitado pelos transportes.
1.4. D. envelhecimento da população, resultante do êxodo rural.
1.5. C. verdadeira, porque o crescimento natural tem, hoje, um peso reduzido na variação numérica da população.
 
2. A resposta deve fazer referência à bipolarização (força de atracção exercida por dois pólos – AML e AMP, sobre a população e as actividades.
 
 
3.1. A resposta deve fazer referência a factores como: clima, relevo, fertilidade dos solos, recursos hídricos – físicos e indústria, rede de transportes, urbanização, actividades terciárias – humanos, ou outros considerados relevantes.
 
3.2.1. A resposta deve ser afirmativa.
3.2.2. A resposta deve explicitar em que medida, pelo menos dois dos factores referidos em 3.1, ou outros considerados relevantes, levaram à concentração da população no litoral.
 
 
4. A resposta deve referir duas das seguintes medidas, ou outras consideradas significativas:
·   Incentivos às empresas no sentido de criação de emprego no interior;
·   Incentivos à natalidade;
·   Melhoria das ofertas socioculturais no interior.
 
 
5.1. A resposta deve fazer referência à região Oeste e Vale do Tejo.
5.2. A resposta deve fazer referência ao Plano de Ordenamento do Território – PROT-OVT.
5.3. A resposta deve referir que o PROT é um plano de âmbito regional.
5.4. A resposta deve apresentar os seguintes problemas: “desordenamento do território, precariedade do ensino e da formação profissional e baixa produtividade dos serviços”.
 
5.5. A resposta deve referir as seguintes prioridades: “apostar em políticas conjuntas de ordenamento, na requalificação dos recursos e na inovação são prioridades”.
 
 
 
Grupo III
1.1. C. menor do que no Norte.
1.2. D. em Portugal, mais de 50% da população empregada trabalha no sector terciário.
1.3. A. Alentejo e Açores, no sector terciário.
1.4. C. estrutura da propriedade agrícola.
1.5. B. verdadeira, devido à crescente entrada da mulher no mercado de trabalho.
 
 
2.1. A resposta deve fazer referência à concentração dos valores mais elevados no sul (Alentejo) e no interior do país e à localização dos valores mais baixos no litoral a norte de Setúbal e nos arquipélagos.
 
2.2. A resposta deve referir que às áreas com maior taxa de analfabetismo correspondem as densidades mais baixas de população e vice-versa, no território continental.
 
2.3. A resposta deve explicitar em que medida duas das seguintes características, ou outras consideradas relevantes, levaram à baixa taxa de analfabetismo:
• população mais jovem;
• aumento da taxa de actividade feminina;
• população com mais formação;
• grande número de população imigrante.
 
2.4. A resposta deve explicitar em que medida pelo menos dois dos seguintes argumentos, ou outros considerados relevantes, constituem um obstáculo à modernização de actividades económicas como a agricultura e o turismo:
·   baixo nível de instrução e de qualificação profissional;
·   menor receptividade às inovações e tecnologias;
·   envelhecimento da população (normalmente associado ao analfabetismo)
·   dificuldades na aceitação e na implementação de estratégias que visem a maior modernização e o aumento da produtividade.
 
 
COTAÇÕES
Grupo I
1……………………….   10
2……………………….   10
3……………………….   15
4……………………….   15 = 50 pontos
 
Grupo II
1……………………….10
2………………………. 5
3.1……………….…... 10
3.2………….……..…. 15
4……………………….10
5.1…………………….. 5
5.2…………………….  5
5.3………….………….10
5.4……….…………….10
5.5……………………..10  = 90 pontos
 
 
 
Grupo III
1……………………….10
2.1………………….….10
2.2………………….….10
2.3………………….….15
2.4………………….….15 = 60 pontos
                         _________________________
                                   TOTAL 200 PONTOS

Teste do 10º Ano - Janeiro

Mäyjo, 09.01.09

Pois é, a tecnologia tem destas maravilhas!

 

Os alunos recebem os testes para fazer e mesmo os que ficam fora da sala já conhecem o teste.

Só é pena não ter sido uns minutinhos, mais cedo... não é ?

 

 

 

 

Teste de avaliação – 10º Ano – Turma LH2

Data: 10 / Janeiro / 2009

 

Todo o teste deverá ser feito na folha de resposta.

 

Grupo I

A estrutura etária de um país está em constante alteração, em consequência de modificações sociais, económicas e políticas.

As pirâmides etárias que constituem a figura 1 põem em evidência as grandes alterações na composição, por idades, da população portuguesa, entre 1960 e 2001.

 

 

 

Figura 1 — Portugal, pirâmides etárias de 1960 e de 2001

Fonte: INE, X Recenseamento Geral da População e Censos 2001

 

 

1. Mencione as duas principais diferenças na estrutura etária da população portuguesa, entre 1960 e 2001

 

2. Refira duas razões justificativas do peso da população portuguesa com 65 e mais anos no total da população, em 2001.

 

3. Apresente três problemas sociodemográficos resultantes da estrutura etária que a figura 1 põe em evidência.

 

4. Explique, recorrendo a dois argumentos, a evolução da natalidade desde meados da década de setenta, de acordo com o que se pode observar na figura 1.

 

 

 

Grupo II

O crescimento efectivo da população entre os dois últimos censos apresenta, em Portugal Continental notórias diferenças regionais, tal como se pode observar no mapa da figura 2.

Figura 2 — Taxa de crescimento efectivo da população residente em Portugal Continental, por concelho, entre 1991 e 2001

 

Fonte: Instituto do Ambiente. Relatório do Estado do Ambiente 2003 (adaptado)

 

1- Transcreva para a folha de resposta alínea correcta.

1.1. A taxa de crescimento efectivo por concelho, em Portugal Continental, variou, no intervalo de tempo decorrido entre o censo de 1991 e o de 2001, entre...

A. - 38% e 51%.

B. 5% e 38%.

C. 0% e 51%.

D. - 20% e 18%.

 

1.2. Dois dos concelhos da NUT Alentejo que registaram, no período considerado na figura 2, um crescimento populacional entre 5 e 18% foram...

A. Évora e Castelo Branco.

B. Serpa e Grândola.

C. Sines e Grândola.

D. Olhão e Sines.

 

1.3. A taxa de crescimento verificada nos concelhos de Lisboa e do Porto, no período considerado na figura 2, resulta sobretudo do...

A. afluxo de pessoas provenientes das áreas rurais.

B. processo de suburbanização facilitado pelos transportes.

C. processo de litoralização das actividades económicas.

D. envelhecimento da população nas regiões periurbanas.

 

1.4. A taxa de crescimento populacional na maioria dos concelhos alentejanos de fronteira com Espanha é negativa, devido ao...

A. movimento transfronteiriço de bens e de pessoas.

B. crescimento dos serviços relacionados com o turismo.

C. envelhecimento da população, resultante da imigração.

D. envelhecimento da população, resultante do êxodo rural.

 

1.5. Os fenómenos migratórios internos e externos são os principais factores explicativos da distribuição representada no mapa da figura 2. Esta afirmação é...

A. falsa, porque esta variação depende exclusivamente de indicadores demográficos como a natalidade e a mortalidade.

B. falsa, porque a variação da população depende, sobretudo, da taxa de fecundidade.

C. verdadeira, porque o crescimento natural tem, hoje, um peso reduzido na variação numérica da população.

D. verdadeira, porque o fenómeno migratório tem contribuído para reduzir o envelhecimento, em especial nas regiões do interior.

 

2. Mencione um fenómeno que, juntamente com a litoralização, caracteriza a repartição demográfica no país.

 

3. A distribuição da população está directamente relacionada com um número variado de factores.

3.1 Refira dois factores condicionantes da repartição demográfica: um físico e um humano.

3.2 Leia a seguinte afirmação:

            A concentração das actividades económicas no Litoral constitui um dos factores mais relevantes para o surgimento de assimetrias demográficas regionais.

3.2.1. Concorda com a afirmação?            

3.2.2. Justifique a resposta anterior.

 

4. Mencione duas medidas conducentes a uma distribuição mais equilibrada da população portuguesa.

 

5. Leia o seguinte texto:

Aprovadas prioridades para região Oeste e Vale do Tejo

            O desordenamento do território, a precariedade do ensino e da formação profissional e a baixa produtividade dos serviços são os principais problemas que afectam a região Oeste e Vale do Tejo. Apostar em políticas conjuntas de ordenamento, na requalificação dos recursos e na inovação são prioridades numa região onde o turismo se afirma como uma actividade económica central. O diagnóstico e as opções estratégicas para o Oeste e Vale do Tejo foram aprovados ontem pela Comissão Mista de Coordenação. O Plano de Ordenamento do Território (PROT-OVT) ficará concluído no final do ano.

            O ante-projecto do PROT-OVT, que abrange 33 municípios de Lisboa, Santarém e Leiria, onde residem 800 mil habitantes, deverá ficar concluído em Junho. Segue-se o período de discussão pública. O documento final será apresentado no final do ano e servirá de orientação para a revisão dos planos directores municipais.

Joana Pinheiro, http://dn.sapo.pt/, 30 de Janeiro de 2007

 

5.1. Identifique as regiões referidas no texto a necessitar de intervenções conjuntas.

5.2. Identifique o instrumento de intervenção referido.

5.3. Relacione esse instrumento com o âmbito em que se integra.

5.4. Refira os principais problemas que afectam a região.

5.5. Mencione as prioridades para as regiões.

Grupo III

A estrutura da população empregada nos diversos sectores de actividade, em Portugal, apresenta algumas diferenças regionais significativas, representadas na figura 1.

Figura 3 — Estrutura da população empregada, por sectores de actividade (2004)

Fonte: www.ine.pt (adaptado)

 

1- Transcreva para a folha de resposta alínea correcta.

1.1. A percentagem de população empregada no sector secundário, na região de Lisboa, é...

A. maior do que nos Açores.

B. menor do que no Algarve.

C. menor do que no Norte.

D. maior do que na Madeira.

 

1.2. Através da análise do gráfico da figura 1, é possível concluir que...

A. no Centro, mais de 50% da população empregada trabalha no sector secundário.

B. no Norte, 55% da população empregada trabalha no sector secundário.

C. na Madeira, 35% da população empregada trabalha no sector terciário.

D. em Portugal, mais de 50% da população empregada trabalha no sector terciário.

 

1.3. As regiões que, de acordo com os dados da figura 3, apresentam valores semelhantes de população empregada no mesmo sector são...

A. Alentejo e Açores, no sector terciário.

B. Norte e Alentejo, no sector secundário.

C. Algarve e Alentejo, no sector primário.

D. Norte e Madeira, no sector terciário.

 

1.4. A população empregada no sector primário apresenta o valor mais elevado no Centro devido à...

A. terciarização da indústria.

B. grande mecanização agrícola.

C. estrutura da propriedade agrícola.

D. elevada taxa de desemprego.

1.5. A taxa de actividade da população portuguesa é hoje maior do que há quarenta anos atrás.

Esta afirmação é...

A. verdadeira, devido ao fenómeno do êxodo rural.

B. verdadeira, devido à crescente entrada da mulher no mercado de trabalho.

C. falsa, devido ao envelhecimento da população portuguesa.

D. falsa, devido às características da emigração neste período.

 

 

2. A figura 4 mostra a distribuição da taxa de analfabetismo, em Portugal, no ano de 2001.

Figura 4 — Distribuição da taxa de analfabetismo por NUT III, 2001

Fonte: INE, Censos 2001, 2002

 

2.1. Refira duas características da distribuição da taxa de analfabetismo, no nosso País.

 

2.2. Mencione a principal diferença entre a distribuição espacial da taxa de analfabetismo e a distribuição espacial da população, no território do continente.

 

2.3. Explique, recorrendo às características da população activa, os valores da taxa de analfabetismo registados nas NUT III que fazem parte das Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto.

 

2.4. Justifique o facto de o analfabetismo constituir um entrave à modernização de actividades económicas como a agricultura e o turismo.

 

Bom trabalho!